Pliometria no treinamento físico do Voleibol








Uma boa impulsão é uma das grandes preocupações do praticante de Voleibol. Importante em saques, ataques e bloqueios, além de levantamentos, quem consegue desenvolver uma boa impulsão sai, sem dúvida, na frente. Uma das formas de trabalhar e melhorar a impulsão no Voleibol é a Pliometria.

O termo pliometria foi introduzido pelo treinador norte-americano Fred Wilt em 1975. Essa técnica tornou-se popular nos anos 60 e 70 e foi responsabilizada pelo sucesso dos atletas do leste europeu na época.

Com o passar dos anos, o método pliométrico se tornou imprescindível a qualquer plano de treinamento físico, direcionado para a prática do voleibol, bem como, para as modalidades desportivas que possuem características semelhantes.

A preparação física desempenha um papel essencial no voleibol, visando o alargamento das competências que permitem criar qualidades adequadas ao domínio das atuações de jogo e à concretização de uma atitude competitiva mais eficiente.

Uma das peculiaridades do voleibol é a necessidade de quase todos os jogadores saltarem, sendo então o salto vertical uma das ações mais importantes durante o jogo.

É comum ver atletas de alto nível com um bom potencial de salto, pois o atleta que consegue saltar mais tem vantagens contra a equipe adversária e, alcance de bloqueios, ataques, levantamentos e saques. O salto permite que o jogador execute o saque em suspensão ( o tipo viagem e o flutuado), o bloqueio, o ataque, o levantamento e quando necessário, praticar ações defensivas.

 A força é a qualidade física mais empregada pelos atletas, porque estes necessitam saltar alto e bater forte na bola, movimentar-se ligeiramente com o conjunto do corpo na quadra. Assim as habilidades físicas que o voleibol requer precisam ser treinadas, mas sem deixar de respeitar a maturidade motora e a individualidade de cada atleta. Saltitar e golpear a bola estão relacionados às diversas situações de jogo da mesma forma que correr, lançar, rebater, são habilidades que devem ser fortalecidas por procedimentos de simples aplicação e aprendizado de modo a tentar diminuir o tempo de adequação.

A interação entre força e velocidade no voleibol delineia a maior parte dos movimentos, assim, a força explosiva, deliberada por eles como a capacidade do sistema nervoso e muscular de suportar a resistência desenvolvida pela contração muscular rápida, deve ser a mais desenvolvida em um programa de condicionamento físico.  As capacidades físicas motoras desenvolvidas por atletas de voleibol, no decorrer de uma partida, são fundamentalmente de deslocamentos de pequena distância, de saltos e a combinação destes. O mesmo autor afirma que salto é uma aptidão motora básica essencial para o desempenho dos atletas

A pliometria tem grande importância em seus aspectos ocasionadores na alteração da força explosiva muscular, faz-se indispensável a reflexão sobre o assunto para se conseguir apontadores no sentido de aprimoramento das validades físicas e esquemas táticos de atletas e equipes, podendo assim, chegar à melhoria de resultados e possíveis conquistas vencedoras.

 O treinamento pliométrico é  aconselhado para o voleibol porque promove a melhora da força reativa neuromuscular e que a finalidade da pliometria para os membros inferiores  consiste em acrescentar o impulso do salto vertical do atleta.

Use e abuse de exercícios pliométricos na preparação física no Voleibol



Você não pode perder:

- Receba os posts desse blog por email
- Ebook Gratuito: Como ensinar fundamentos do Voleibol
- Grupos de Whatsapp sobre Esportes


Comente:

Nenhum comentário