Táticas individuais da cortada do Voleibol








O voleibol é um dos esportes mais praticados na atualidade. Está presente nas competições esportivas, nos jogos escolares e na recreação. Nesse esporte, os praticantes utilizam alguns movimentos específicos como: saque, manchete, bloqueio, levantamento, toque, entre outros.

O ataque é, em geral, o terceiro contato de um time com a bola. O objetivo deste fundamento é fazer a bola aterrissar na quadra adversária, conquistando deste modo o ponto em disputa. Para realizar o ataque, o jogador dá uma série de passos contados ("passada"), salta e então projeta seu corpo para a frente, transferindo deste modo seu peso para a bola no momento do contato.
A cortada é um tipo de ataque muito utilizado pelos jogadores no voleibol. Consiste em golpear a bola, rápida e violentamente, com uma das mãos, procurando fazê-la tocar a quadra adversária.

O voleibol contemporâneo envolve diversas técnicas individuais de ataque:

- Ataque do fundo: ataque realizado por um jogador que não se encontra na rede, ou seja, por um jogador que não ocupa as posições 2-4. O atacante não pode pisar na linha de três metros ou na parte frontal da quadra antes de tocar a bola, embora seja permitido que ele aterrisse nesta área após o ataque.

- Diagonal ou Paralela: indica a direção da trajetória da bola no ataque, em relação às linhas laterais da quadra. Uma diagonal de ângulo bastante pronunciado, com a bola aterrissando na zona frontal da quadra adversária, é denominada "diagonal curta".

- Cortada ou Remate: refere-se a um ataque em que a bola é acertada com força, com o objetivo de fazê-la aterrissar o mais rápido possível na quadra adversária. Uma cortada pode atingir velocidades de aproximadamente 200 km/h.

- Largada: refere-se a um ataque em que jogador não acerta a bola com força, mas antes toca-a levemente, procurando direcioná-la para uma região da quadra adversária que não esteja bem coberta pela defesa.

- Explorar o bloqueio: refere-se a um ataque em que o jogador não pretende fazer a bola tocar a quadra adversária, mas antes atingir com ela o bloqueio oponente de modo a que ela, posteriormente, aterisse em uma área fora de jogo.

- Ataque sem força: o jogador acerta a bola mas reduz a força e consequentemente sua aceleração, numa tentativa de confundir a defesa adversária.

- Bola de xeque: refere-se à cortada realizada por um dos jogadores que está na rede quando a equipe recebe uma "bola de graça" (ver passe, acima).

A Cortada no Voleibol é um fundamento técnico de Ataque, feito com a palma da mão e batendo na bola com força e velocidade, de cima para baixo. Ela também pode ser usada para "explorar" o Bloqueio adversário, ou seja, realizar o golpe de Cortada de forma que a bola bata no Bloqueio e vá para fora da área de jogo.

As táticas individuais dos diversos tipos de cortadas, que se empregam durante o jogo, são de iniciativa do próprio cortador.

1- Saber desvencilhar-se do bloqueio – pelos lados, por cima e por entre as mãos dos bloqueadores;
2- Desviar a bola, preferencialmente, em direção ao bloqueador adversário mais baixo;
3- Dosar a força da bola – ora violenta, ora devagar – para confundir e surpreender a defesa adversária (mudança de ritmo);
4- Intercalar a trajetória da bola, procurando atingir o fundo e as proximidades da rede;
5- Distinguir o exato momento de executar uma pingada ou uma colocada, aproveitando os descuidos nas coberturas da defesa adversária;
6- Tomar conhecimento do sistema de coberturas da equipe adversária e dos deslocamentos de seus jogadores;
7– Ser capaz de simular um tipo de cortada e executar outro;
8- Cortar a bola de raspão no bloqueio;
9- Alcançar a bola no ponto mais alto possível.


Você não pode perder:

- Receba os posts desse blog por email
- Ebook Gratuito: Como ensinar fundamentos do Voleibol
- Grupos de Whatsapp sobre Esportes


Comente:

Nenhum comentário